A tecnologia vem ajudando as instituições públicas a superar uma série de desafios. Entre eles, podemos mencionar a obtenção de recursos complementares ao orçamento, adquiridos por meio do financiamento externo. Mas o investimento em soluções digitais, sozinho, não garante que o requisito do projeto cofinanciado seja cumprido com efetividade. É preciso aliar essas ferramentas ao conhecimento de especialistas, que vão orientar os gestores sobre as exigências de cada órgão financiador. Além disso, as dúvidas que costumam surgir neste percurso poderão ser sanadas prontamente.

O suporte de profissionais com uma trajetória consolidada na área de financiamento internacional é primordial para que o processo flua com tranquilidade. Não podemos esquecer que assim como a elaboração do projeto, o acompanhamento periódico é essencial para que os recursos continuem chegando. O apoio especializado ajuda na organização técnica e financeira, além de facilitar e garantir transparência na hora de apresentar os resultados.

De que forma um profissional especializado pode ajudar a atender ao requisito do projeto cofinanciado?

As verbas extraorçamentárias são muitas vezes o único caminho para que a gestão pública brasileira consiga viabilizar o que foi planejado (ou pelo menos grande parte). Esse aporte pode vir de instituições financeiras nacionais ou de organizações externas, como bancos, agências governamentais ou organismos multilaterais. Apesar de ser um mecanismo cada vez mais utilizado, conseguir que um projeto seja aprovado e, mais do que isso, garantir a sua continuidade, é um processo complexo e que envolve uma série de detalhes.

As ferramentas digitais, geralmente obrigatórias nos projetos de cofinanciamento, ajudam a dar celeridade às informações prestadas. Elas oferecem um maior controle das etapas, principalmente a contábil e a financeira, facilitam o acesso aos dados e a produção de relatórios de demonstração, sempre seguindo a legislação e as normas pertinentes. Essas soluções, no entanto, precisam ser bem gerenciadas para que o requisito do projeto seja atendido com excelência e não aconteçam ruídos que causem a suspensão da verba. E é exatamente neste momento que o apoio de um profissional especializado se mostra imprescindível.

A Softplan oferece, desde 1990, tecnologia para projetos cofinanciados, tendo atendido neste período cerca de 30 programas, tanto nacionais quanto internacionais. Seus especialistas possuem formação específica na área de gerenciamento de projetos, inclusive com cursos de extensão realizados nos próprios agentes financiadores como o BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento).

Aliado ao SAFF (Solução para Administração Física, Financeira e Contábil de Programas cofinanciados por Organismos Internacionais), o conhecimento das equipes da Softplan é um dos grandes diferenciais da empresa, garantindo mais eficiência às demandas por financiamento externo. Em três décadas de atuação, esses profissionais já ajudaram a gerenciar mais de US$ 2 bilhões em recursos, valores que são monitorados por meio de aproximadamente 3,5 mil indicadores nos mais diversos programas. Uma experiência que soma pontos na hora de apoiar os órgãos governamentais nesse momento.

Pontos essenciais e que geram mais dúvidas em projetos cofinanciados

Alguns dos questionamentos mais comuns com relação ao requisito do projeto cofinanciado e que o suporte de uma equipe especializada ajuda a resolver são:

  • Onde solicitar os recursos;
  • Como apresentar as informações;
  • Quais as regras para a atualização dos dados;
  • O que deve ser mantido no histórico e o que não é necessário;
  • Como fazer a prestação de contas.

A questão das nomenclaturas, que variam de uma instituição financeira para outra, também acaba gerando bastante confusão. Por mais que um sistema digital emita alertas constantes sobre o status do financiamento, é preciso entender a informação para saber como utilizá-la de forma correta. Para isso, o conhecimento de termos e conceitos é fundamental, o que fica muito mais fácil quando se tem o apoio de especialistas na área.

Com o auxílio dos profissionais da Softplan, os gestores saberão exatamente o que o banco espera em termos de eficiência, transparência e prestação de contas em todas as etapas do projeto. Dessa forma, serão capazes de elaborar um planejamento mais consistente e assertivo, com informações organizadas e de acordo com o que é exigido.

São muitos os pontos em que nossos especialistas podem ajudar oferecendo todo o suporte necessário para que o time interno esteja preparado para o cumprimento das obrigações até finalização do projeto. Uma recomendação essencial para aumentar a efetividade dessas ações é ter uma Unidade de Gerenciamento de Projetos (UGP). Nesta equipe, cada profissional será responsável pela sua área de atuação (contábil, gestão, jurídico, processos e áreas técnicas) e um coordenador fará a integração de todas as atividades.

Deixe um comentário

sete + três =