*Pedro Bueno de Almeida, mestre em Ciências Econômicas e Analista de Dados na Unidade de Gestão Pública da Softplan

A boa gestão fiscal dos municípios brasileiros deverá ser um fator determinante para o resultado das urnas nas Eleições Municipais de 15 de novembro, sobretudo aos candidatos que buscam a reeleição. A análise decorre da base no último Índice FIRJAN de Gestão Fiscal (IFGF), que avalia autonomia; gastos com pessoal; liquidez; e investimentos nas cidades brasileiras.

Segundo as estatísticas oficiais, coletadas através da declaração de 5.337 municípios à Secretaria do Tesouro Nacional em 2019, 67% das cidades se encontram com gestão fiscal em nível de Dificuldade ou Crítica, enquanto 33% estão em grau de Excelência ou de Boa Gestão. Dessas, 81% têm prefeito no primeiro mandato e apenas 19% são comandadas por governantes reeleitos há quatro anos. O IFGF aponta que existem mais municípios onde houve reeleição em situação de “excelência” (27%) e menos em situação “crítica” (55%), quando comparados com os municípios em que a gestão municipal está no primeiro mandato.

Indo além, ao cruzar os dados do índice Firjan de Gestão Fiscal de prefeituras que utilizam nossas soluções digitais para a Gestão Pública e estão com nível de “excelência” ou “boa gestão”, com dados das pesquisas de intenção de votos para as eleições de 2020 (Ibope, DataFolha, RealTime Big Data), verifica-se que os prefeitos atuais destas cidades – eleitos pela primeira vez em 2016 – são os que estão liderando as pesquisas e reúnem mais chances que seus adversários e devem se manter na liderança de seus municípios.

Os números reforçam a tese de que uma melhor gestão fiscal contribui marginalmente para uma maior chance de reeleição, mas também mostram a fragilidade que se encontra grande parte dos municípios do país, com a maioria deles apresentando dificuldades fiscais. Mantida a correlação observada entre a gestão fiscal e a reeleição dos prefeitos, a tendência para 2020 é de que a situação atual de cada município será crucial para revelar o destino dos candidatos à reeleição.

Matéria completa: Economia SC
Leia o artigo completo publicado aqui

 

Deixe um comentário