Case da Secretaria de Infraestrutura de Florianópolis é pré-selecionado para o Prêmio de Boas Práticas em Gestão Pública da Esag. 

 

O case da Secretaria Municipal de Infraestrutura do Município de Florianópolis sobre Transparência e Eficiência na Gestão de Obras na Secretaria Municipal de Infraestrutura de Florianópolis foi um dos pré-selecionados ao Prêmio de Boas Práticas em Gestão Pública, promovido pela UDESC.

O prêmio tem como objetivo identificar, reconhecer e estimular práticas inovadoras que geram avanços na realização do interesse público e incentivam a participação e a troca de experiências entre servidores públicos e sociedade civil. Segundo Orlando Vieira de Castro Junior, presidente da Comissão Organizadora do Prêmio, o tema da edição 2020 é transparência com cidadania. Entende-se como boas práticas as ações que promovem o engajamento de governantes e cidadãos na construção da transparência pública, contribuindo para facilitar processos, otimizar recursos, aprimorar o desempenho e democratizar o controle da administração pública.

Estão concorrendo ao prêmio órgãos públicos da administração direta e indireta, organizações da sociedade civil e empresas que desenvolvam um conjunto de ações e procedimentos que consolidam avanços na realização do interesse público no Estado de Santa Catarina. Ao todo 54 inscritos concorrem ao prêmio. O case da Secretária de Infraestrutura de Florianópolis está inscrito na modalidade Gestão de Obras e Serviços Urbanos e está sendo avaliado nos seguintes critérios: criatividade; relevância; aderência; avaliação; resultados e potencial de difusão.

O autor do case vencedor ganhará as custas para participar de uma visita a organizações públicas e/ou evento no exterior, de acordo com a área de atuação da prática vencedora, passagem de ida e volta e hospedagem por três dias, além de um Troféu e um Certificado de Reconhecimento.

O case de Florianópolis tem como autor Valter José Gallina, Secretário Municipal de Infraestrutura, e contou com o apoio da Softplan, desenvolvedora do software usado pela Secretária e que originou a construção do case!

O case da Secretaria de Infraestrutura de Florianópolis foi selecionado por conseguir otimizar – através de um sistema de gestão de obras, contratos, orçamentos e execução da obra, todos os pontos necessários na administração dos mais de R$ 300 milhões investidos em 145 obras executadas com recursos de diversas instituições financeiras. A gestão das obras começou o processo digital em 2014 e concluiu toda a integração em 2019.

A solução padronizou e otimizou os processos, seguindo o planejamento, notificando divergências entre outras automações como por exemplo:

  • Interação entre contratado e contratante: disponibiliza um conjunto de funcionalidades, inclusive aplicativos exclusivamente criados para dispositivos móveis que estão integrados à aplicação central, com o objetivo de realizar a gestão do contrato. Permite que o fiscal da Secretaria de Infraestrutura, o engenheiro/representante da contratada e o gestor do contrato estejam conectados a qualquer hora, de qualquer lugar, acompanhando e monitorando o andamento da obra. O gestor e o fiscal também podem acompanhar as medições por meio de fotos, vídeos e georreferenciamento.
  • Transparência na prestação de contas: o software possibilita que o gestor disponibilize informações para que a sociedade acompanhe os recursos públicos aplicados. Isso é feito por meio do mapa de obras na internet, que apresenta informações sobre as obras em andamento e as já concluídas, além de dispor de relatórios sobre os investimentos realizados.
  • Indicadores estratégicos: fornecem informações para que os fiscais possam acompanhar e monitorar o andamento de seus contratos. Eles permitem visualizar investimentos e prever o desembolso de recursos financeiros. Realizam comparativos entre as ações previstas e as realizadas.

Antes da implantação da solução, os controles eram realizados de forma manual, com perda do histórico das informações, falhas no compartilhamento de documentos, e conhecimento perdido por falta de registros e atualizações. Com o uso da solução, todas as fiscalizações podem ser feitas pelo celular, mesmo sem acesso à internet, compartilhando em tempo real arquivos de qualquer extensão e com permissões de usuários e controle no preenchimento dos documentos, prestações de contas e registros em nuvem.

Deixe um comentário

dois × quatro =